dia 5: Da ilha catarinense para a serra gaúcha

Florianópolis é sem dúvida uma cidade para que teremos que voltar em breve, o tempo realmente foi muito curto para apreciarmos toda a beleza da ilha catarinense. Conseguimos apenas visitar o mercado municipal, e fomos à pé mesmo pois era bem perto do nosso hotel. A área está muito bem preservada e totalmente revitalizada, com restaurantes e lojas de artesanato local além das bancas de mercado de frutas, hortaliças, peixes e carnes fresquinhas.

 

Existe também um ponto de atendimento ao turista muito bem equipado com mapa interativo que você consegue ver as principais atrações da cidade, traçar rotas e passeios bem legais!

Resultado, acabamos saindo da cidade mais tarde do que estava previsto, mas valeu muito a pena pelo passeio e descanso do carro.

O atendimento do Mercure é mesmo superior ao do IBIS, o check out assim como o check in foi bem tranquilo e rápido. Partimos rumo a Canela.

A viagem é mais longa que as outras, a subida da serra tem muitas curvas e a velocidade da estrada é reduzida, portanto, atenção redobrada!

Fizemos uma parada para almoçar no outlet do Japonês que fica próximo à cidade de Sombrio. Por falar nisso, essa região tem umas cidades com nomes bem estranhos: Sombrio, Ermo, Esquisito… credo!  Mas a parada é bem razoável, tinha um bom self service e algumas lojas bem legais, mas como queríamos mesmo chegar logo em Canela continuamos a viagem pela serra.

O outlet também tinha uma exposição de carros que agradou:

A subida teve muita névoa e serração tanta que por vezes não dava nem para enxergar um palmo a frente.

Paramos mais uma vez em um mirante que tinha uma vista ma-ra-vi-lho-sa da serra. Aqui o frio já estava pegando.

Chegamos em Canela sob uma chuvinha e muita névoa, tanta que quase perdemos a entrada do hotel Tissiani, nossa casa em Canela.

Depois de colocar as coisas no quarto fomos jantar. Primeiro problema: Chuva, e nós não trouxemos nenhum guarda-chuva. Solução: o hotel dispõe de guarda-chuvas para uso dos hópedes, ponto para o hotel.  Fomos à pé mesmo em uma churrascaria próxima e tomamos um bom vinho local, Boscato.


Agora era só dormir no quentinho de um mesmo quarto, todos juntos dessa vez.  E elas apagaram em suas caminhas, ufa!

Amanhã será dia de Rota Kids em Gramado!

See ya

Dicas deste Post:

  • Já falamos em outro post, mas não custa reforçar: visitar o mercado municipal de uma cidade ajuda bastante a capturar a atmosfera do lugar
  • Em SC, o limite de velocidade é de 110 km/h na BR-101, passando para 100 km/h ao chegar no RS.  Respeite os limites, para sua segurança e porque há inúmeros radares nas estradas.
  • A subida da serra para Gramado é repleta de curvas e de pista simples.  Muito cuidado e atenção redobrada.
  • Vale a pena parar nos mirantes para uma linda vista da Serra.  Existe uma parada na subida, ao lado de um restaurante e na descida, logo após o  túnel.
  • Canela é muito perto de Gramado e costuma ter opções de hotéis mais baratos.  Não deixe de incluir Canela na sua pesquisa de preços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *